Brasileiro que foi preso com armas em Washington tem histórico de violência doméstica e outras prisões

A denúncia diz, ainda, que em 2019, ao comprar três armas de fogo em Portland e Lebanon, no estado de Oregon, e Lacey, em Washington, João Ricardo inseriu informações falsas em formulários do governo dizendo que era cidadão dos EUA.

Da redação

Um brasileiro, condenado por violência doméstica que mora em Vancouver, no estado de Washington, foi preso por mais de meia dúzia de acusações de porte ilegal de armas de fogo, incluindo armas fantasmas – armas de fogo de fabricação particular sem números de série.

O Procurador-geral dos Estados Unidos, Nick Brown, disse em um comunicado, na segunda-feira (09), que João Ricardo De Borba continua preso no Centro de Detenção Federal em SeaTac, aguardando novos procedimentos judiciais.

A denúncia criminal diz que o brasileiro entrou nos Estados Unidos com visto de turista em 1999 e depois de vencido, ele falsificou documentos para trabalhar nos EUA e adquirir armas de fogo.

A denúncia diz, ainda, que em 2019, ao comprar três armas de fogo em Portland e Lebanon, no estado de Oregon, e Lacey, em Washington, João Ricardo inseriu informações falsas em formulários do governo dizendo que era cidadão dos EUA.

Ele comprou mais armas de fogo nos dois estados, foi preso em novembro de 2019 por suposta agressão doméstica, cumpriu uma ordem de não ter contato com a vítima e foi instruído a entregar suas armas. Mais tarde, naquele mês, ele foi preso por violar essa ordem e 20 armas de fogo foram apreendidas em sua residência,

O brasileiro foi condenado em janeiro em um caso separado de agressão doméstica e disse que não poderia ter armas de fogo.

Na semana passada, a polícia cumpriu um mandado de busca na residência do brasileiro e apreendeu 5 armas: 3 fuzis estilo AR-15 sem número de série ou marca do fabricante e duas pistolas – uma sem número de série e marca do fabricante. As armas fantasmas parecem ter sido feitas de peças encomendadas online, de acordo com o Procurador.

João Ricardo também tinha uma grande quantidade de munições, peças e ferramentas de armas de fogo, silenciadores de armas de fogo e revistas.

O caso está sendo investigado pelo FBI com a ajuda do Departamento de Polícia de Vancouver, o Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE, sigla em inglês) e outras agências.



Fonte: Brazilian Times