Coluna Milena

Atiaia Life by Milena Bittencourt.

Antes de abordamos sobre a importância dos fechamentos intencionais de ciclos, é importante explicar como os ciclos se iniciam, como se fecham e as razões porquê influenciam diretamente nossa evolução como indivíduos. Os ciclos existem em nossas vidas para nos preparar para níveis de consciência e realidades mais avançadas, como em um jogo de videogame que você precisa ultrapassar certos obstáculos para chegar a um nível mais elevado. Só que esse jogo, é o jogo da vida, e conseguir identificar que tudo é uma fase, e que você só precisa está disposto a iniciar e fechar seus ciclos com coragem e desapego por situações e pessoas que um dia foram necessárias mas que hoje não se encaixam mais na vida da pessoa que você se tornou.

 Somos seres cíclicos, nossa evolução como seres humanos é marcada por fases como a infância, adolescência, vida adulta e velhice. Todas as pessoas e situações que você ainda lembra até hoje, e que de alguma forma influenciam suas emoções, são pessoas e situações que lhe marcaram por alguma razão, seja de forma negativa ou positiva. As situações e pessoas que você lembra positivamente são ciclos que se fecharam com um saldo positivo, já as pessoas e situações que você lembra negativamente, são ciclos que ficaram com o saldo negativo e por não terem seus problemas resolvidos passaram a se manifestar como desequilíbrios emocionais como estresse, ansiedades e fobias. Como  se o preço a pagar fosse a própria sanidade mental.

 Vamos usar como exemplo uma relação amorosa. Infelizmente, a maioria dos casais que decidem se separar, se separam de forma abrupta, intensa, e com egos inflamados, onde cada um só consegue olhar e dá importância para a própria dor. Ambos externamente afirmam não sentir mais nada um pelo outro, esquivam-se do assunto sempre que podem, e jogam tudo o que realmente ainda sentem para baixo do tapete com a intenção de seguir em frente, porém, o que muitos não entendem é que jogar pra baixo do tapete e mentir dizendo que superou, não resolve o problema, problema que não resolvido continuará se perpetuando nas futuras relações, onde na maioria das vezes você se relacionará com um individuo(a) fisicamente diferente mas possuidor das mesmas características internas do parceiro(a) anterior, como se você repetisse o ciclo diversas vezes até conseguir fechar o ciclo de forma leve, entendendo que tudo se finda, e que é preciso muitas vezes deixar pessoas, mudar de cidade, trocar de emprego para que o movimento progressivo se manifeste em sua vida.  Atitudes essas, que  são essenciais para permitir que um novo ciclo se inicie.

 Um ciclo se finda para que a realidade externa passe a se alinhar com a nova realidade interna. Muitos revivem  constantemente a mesma situação que um dia os limitaram, sentem todas as emoções relacionadas aquela situação continuamente dia após dia. Muitas vezes a fim de ensinar uma lição que precisa ser aprendida, situações inesperadas e até desagradáveis passam a se manifestar em sua jornada com o único intuito de impulsionar seu progresso.

Para se fechar os ciclos de forma positiva é importante lembrar  que mesmo durante a dor das transições e das mudanças, é de suma importância que você não se permita afundar cegamente em sua própria dor, mergulhando nas águas do vitimismo. Passar pela dor de forma consciente, aceitando-a e a compreendendo faz toda a diferença. A dor da perda, da decepção  e do medo durante a observação do próprio indivíduo sobre sua própria dor faz com que a dor antes insuportável e limitante, torna-se suportável e compreensível.

Não busque culpados, não se torne vítima e nem busque por vingança, fale o que for necessário, coloque pra fora tudo que sente, converse com quem precisar, resolva da forma mais pacífica e sábia que puder, mais não permita seguir e virar a página externamente sendo que internamente a página continua no mesmo lugar. No momento em que você começa a aceitar o que sente e a para de mentir para si mesmo algo milagroso acontece, você passa a viver uma realidade que lhe faz mais feliz, mais completo. Você vai saber que fechou um ciclo positivamente quando perceber que aquela situação, pessoa ou lugar não lhe trazem mais sentimentos de raiva, medo, abandono, insegurança, ou qualquer outro sentimento que lhe tire a paz e a vontade de viver.

 Se você se vê em ciclos repetitivos tente observar o que dessa situação você ainda não consegue se libertar, busque encontrar onde está o seu maior medo, lá também estará a porta para sair do ciclo que  você se encontra. Seus medos falam mais sobre você do que possa vir a imaginar, por isso liberte o bicho do armário, afinal ele não está ali para lhe assustar ou fazer algum mal, está ali pois se materializou em sua mente de alguma forma a fim de ter sua atenção. Pergunte para si mesmo em que época da sua vida ele surgiu, como estavam suas emoções naquele momento, e busque por soluções para compreender por uma perspectiva diferente da que havia observado e consequentemente o bicho do armário desaparecerá e nunca mais retornará.

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook