Especialistas em saúde da Flórida pedem cautela e atenção para evitar novos casos de Covid 

Pessoas devem estar atentas para evitar focos de contaminação, com aumento de infecção

 

Houve novas infecções registradas, de acordo com o último relatório de sete dias divulgado pelo estado na sexta-feira. Especialistas dizem que é hora de a Flórida começar a compartilhar mais dados com mais rapidez 

Da Redação 

Os especialistas em saúde da Flórida alertam a população para os devidos cuidados evitando que casos de coronavírus continuem aumentando no Estado. Especialistas dizem que é hora de a Flórida começar a compartilhar mais dados com mais rapidez.

Houve novas infecções registradas, de acordo com o último relatório de sete dias divulgado pelo estado na sexta-feira. Isso é uma média de mais de 10.000 infecções por dia, um número não visto desde o início de fevereiro. É também o maior aumento de casos desde a primeira onda de infecções em junho de 2020.

As hospitalizações também aumentaram nas últimas duas semanas, para quase 800 internações confirmadas todos os dias, em média. Ao mesmo tempo, as taxas de vacinação semanais continuam caindo à medida que novos pacientes se tornam cada vez mais difíceis de alcançar. O número de vacinados pela primeira vez caiu para pouco mais de 100.000, o menor desde junho.

Os especialistas em saúde da Flórida lutam com a divulgação de dados infrequentes. O estado parou de relatar dados diários de infecção e vacinação por Covid-19 em 3 de junho. Em vez disso, envia relatórios semanais todas as sextas-feiras, o último saindo às 17:31.

“Fazer este relatório semanal apenas deixa você completamente no escuro sobre o que está acontecendo”, disse a epidemiologista da Universidade da Flórida Cindy Prins. “E então, na sexta-feira, de repente, tipo, bum, você recebe esse número surpresa.”

O Departamento de Saúde da Flórida também parou de compartilhar dados demográficos importantes com o público, como hospitalizações, infecções em lares de idosos e infecções e vacinações em nível de condado por raça, idade e sexo. Naquela época, as autoridades de saúde disseram que essa mudança refletia uma nova fase da pandemia à medida que os casos diminuíam.

“Os casos de Covid-19 diminuíram significativamente no ano passado, pois temos uma taxa de positividade inferior a 5% e nosso estado está voltando ao normal, com vacinas amplamente disponíveis em toda a Flórida”, disse a secretária de imprensa do governador Ron DeSantis, Christina Pushaw, em um e-mail de 3 de junho anunciando a mudança.

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook