EUA batem recorde em emissão de Green Cards para trabalhadores

Com o conjunto da instabilidade política e da inflação — que só tende a subir — prejudicando o poder de compras passando dando um clima de insegurança à população, alguns brasileiros foram levados a deixar o país em busca de qualidade de vida e estabilidade financeira fora do Brasil.

Só na última década, 10,3 milhões de green cards — documento que concede o direito à residência permanente nos EUA — foram emitidos para imigrantes vindos de todos os cantos do planeta, inclusive do Brasil. Segundo dados do Itamaraty, hoje existem aproximadamente 1,9 milhão de brasileiros, entre legais e ilegais, morando no país norte-americano.

Segundo o advogado de imigração Marcelo Gondim (foto), a comunidade brasileira é a décima-primeira mais populosa no país, e pode ultrapassar a marca de 2 milhões de pessoas ainda este ano. “Destino favorito dos brasileiros que sonham em morar no exterior, os Estados Unidos nunca ofereceram tantas oportunidades para imigrantes quanto agora”, disse Gondim, que já cuidou de centenas de processos de green cards para brasileiros.

Independentemente do motivo que leva uma pessoa a buscar a imigração legal para os EUA, é preciso saber que existem tipos de vistos e categorias específicas de imigração que levam ao Green Card. “Para identificar o tipo correto para cada caso é sempre recomendável contar com apoio jurídico profissionais especializados e licenciados em direito imigratório”, concluiu Gondim.

5 motivos principais listados por Marcelo Gondim:

1. Falta mão-de-obra – “Existe hoje uma grande carência de profissionais qualificados para atuar em diversas áreas, como engenharia, arquitetura, TI, aviação, medicina, odontologia, enfermagem, educação, e muitas outras. De acordo com o Departamento de Trabalho dos EUA, será preciso contratar cerca de 11 milhões de novos profissionais para atender a demanda do mercado dentro dos próximos 5 anos.”

2. Recorde de Green Cards disponíveis – “O Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS) colocou a disposição mais de 300 mil green cards para este ano fiscal. A quantidade recorde de documentos de residência tem como principal objetivo atrair mais imigrantes qualificados por carreiras bem-sucedidas, oportunidades de emprego e investimento no país.”

3. Economia superaquecida – “Os EUA foram a primeira nação a ser recuperar dos prejuízos econômicos causados pela pandemia da covid-19. Diferentemente do que ainda acontece em muitos países, como no Brasil, a América já retomou seu crescimento em todos os índices e segmentos, e a tendência é de que se isole ainda mais como maior potência do ocidente nos próximos anos.”

4. Oportunidades de estudo – “Nos últimos 8 anos, os EUA perderam o posto de país que recebe mais estudantes estrangeiros, ultrapassado por Canadá e Inglaterra. Em 2021, as principais instituições de ensino e intercâmbio americanas decidiram modificar este quadro, e desde então os preços para estudar na América tornaram-se mais acessíveis. Além disso, muitos cursos passaram a oferecer oportunidade de trabalho meio-expediente para alunos de alguns cursos.”

5. Incentivo para empresários – “O governo americano possui diversos programas para auxiliar estrangeiros que desejam abrir empresas nos EUA, com regras desburocratizadas e até incentivos fiscais. O objetivo é atrair cada vez mais empreendedores que queriam comprar franquias ou montar seus próprios negócios no país. Informações sobre estes programas são frequentemente atualizadas no website: www.usa.gov.”

// Fonte: Correio Braziliense.

Fonte: Brazilian Press