Paris recebe casais com primavera e bons cenários para pedidos especiais

É fato que sempre teremos Paris, foi o que nos ensinou o cinema. E pode ser que, justamente por essa certeza, a capital francesa acabe com frequência ficando “pra uma próxima” na hora de escolher um destino romântico para visitar a dois —”vamos aqui primeiro, Paris estará sempre lá”.

Acontece que, depois de mais de dois anos de restrições pandêmicas, e em plena primavera europeia (que vai até 21 de junho), não poderia haver melhor época para visitar a França. As atrações reabertas e o clima ameno são a moldura perfeita para a cidade mais sentimental do mundo.

Uma vez lá, é hora de bater perna e conhecer as principais atrações. Para casais fãs das artes, começar pelos museus é boa pedida —e aqui é fundamental avisar que, já há alguns anos, não se sai mais rumo a pontos turísticos na Europa sem ter, no mínimo, feito reservas prévias via internet.

Saiba tudo sobre a construção do Arco do Triunfo e tire lindas fotos da Avenida Champs-Élysées do seu topo, com ingressos a 13 euros. No Louvre, a entrada sai por 17 euros, e o horário da visita pode ser agendado pelo próprio site, sempre de meia em meia hora. É a chance de ver de perto obras famosas como a “Vênus de Milo” e a “Vitória de Samotrácia”, e as pinturas da “Mona Lisa” e “As Bodas de Caná”.

Um roteiro menos batido, porém tão divertido quanto, inclui o Museu Nacional de História Natural de Paris, no 5º arrondissement, onde uma “fila” de animais empalhados transporta os turistas para um cenário de cinema impressionante e comovente.

Agende a visita pela manhã e, na saída, almoce no Le Jardin des Pâtes (4 Rue Lacépède). O pequenino restaurante de fachada despretensiosa tem no cardápio massas feitas à base de ingredientes como trigo, cevada e arroz.

Na Torre Eiffel, abuse das fotos românticas ensolaradas, mas desista da ideia de, como é tradição em pontes ao redor do mundo, pendurar um cadeado para simbolizar seu amor —dado o perigo de um objeto de metal despencar de lá de cima, avisos nas grades reforçam a proibição da prática.

O tíquete varia conforme o dia, a escolha de quantos andares subir e o método para se chegar ao topo (escada ou elevador), mas fica, em média, entre 17,10 e 26,80 euros.

Não deixe de ir também aos românticos parques urbanos, onde dá para passear de mãos dadas, tomar café e, quem sabe, aproveitar o cenário para um pedido especial.

O Jardim de Luxemburgo fica no 6º arrondissement e tem até lago onde, em cenas bucólicas, crianças conduzem barquinhos de brinquedo.

Já o Parc des Buttes Chaumont é menos conhecido de quem vem de fora, fica no 19º arrondissement, e tem como principal atração a Ilha de Belvédère, encarapitada em um penhasco de 30 metros perfeito para beijos apaixonados.

Fonte: Folha de S.Paulo