Bagagem de avião: veja lista de alimentos e produtos do agro proibidos de entrar no Brasil sem documentação

Produtos apreendidos por cães de detecção — Foto: Mapa

Quem está chegando ao Brasil do exterior deve ficar atento para não ter problemas na hora de entrar no país, pois alguns produtos agropecuários como frutas, flores, sementes e mel não podem ingressar no território nacional sem documentação sanitária.

Esses itens podem apresentar risco de introduzir pragas e doenças no país que ameacem o meio ambiente e a saúde da população.

A entrada desses produtos precisa seguir requisitos fitossanitários, zoossanitários e sanitários definidos pelo Ministério da Agricultura, e estão sujeitos à fiscalização.

Produtos proibidos

  • Produtos apícolas (mel, cera, própolis, etc.);
  • Frutas e hortaliças frescas;
  • Flores, plantas ou partes delas;
  • Bulbos, sementes, mudas e estacas;
  • Artesanato com produtos de origem vegetal ou animal não processados;
  • Agrotóxicos e afins;
  • Terras e substratos;
  • Insetos, caracóis, bactérias e fungos;
  • Material biológico para pesquisa científica;
  • Madeiras não tratadas;
  • Amostras biológicas, sêmens, embriões de interesse veterinário;
  • Medicamentos e produtos de uso veterinário;
  • Espécies exóticas: peixes e pássaros ornamentais;
  • Produtos de origem animal destinados à ornamentação.

Produtos autorizados

Por outro lado, outros produtos podem ingressar no Brasil sem a necessidade de apresentação de qualquer documentação sanitária.

Contudo, o governo exige que estes estejam acondicionados em embalagem original de fabricação, com rotulagem que possibilite a sua identificação, devidamente lacrada e sem evidências de vazamento ou violação. São estes:

  • amêndoas torradas e salgadas;
  • bebidas destiladas e fermentadas;
  • vinagres;
  • sucos;
  • óleos vegetais;
  • geleias, conservas;
  • demais produtos industrialmente esterilizados, pasteurizados, fermentados, sulfitados, liofilizados, cozidos, carbonizados, parbolizados, moídos, polidos, tostados ou secos ao forno.

Fonte: G1