6 dicas insiders para visitar a Sagrada Família de Barcelona

A luz mágica de fim de tarde na Sagrada Família
A luz mágica de fim de tarde na Sagrada Família. Adriana Setti/Arquivo pessoal

Visitar a Sagrada Família por dentro é a maior “obrigação” de todo turista que vem a Barcelona — mesmo se você já esteve na cidade outras vezes. Isso porque, pelo menos até 2030, atual previsão para o término da construção, a obra-prima inacabada de Gaudí sempre estará diferente. Para que se tenha uma ideia, ainda falta erguer boa parte da torre principal, que será a construção mais alta da cidade, com 172,5 metros de altura — atualmente, a igreja alcança “apenas” 128 metros de altura, com a Torre de Santa Maria, que foi coroada com uma estrela maravilhosa no ano passado. Voltei ao templo na semana passada, depois de cinco anos de ausência. E saí de lá com o queixo no chão novamente. Vai visitar a obra-prima de Antoni Gaudí na próxima viagem? Então anote essas dicas:

1. Vá no fim da tarde

Ao contrário das grandes catedrais europeias, a Sagrada Família é um templo repleto de luminosidade. Jogar com os efeitos gerados pela projeção da luz solar em seus vitrais foi um dos desafios de Gaudí em seu esforço de superar o estilo gótico em espetacularidade.

Enquanto nas catedrais góticas a luz costuma vir de cima, na Sagrada Família os vitrais vão praticamente até o chão, com as figurações e textos na zona inferior, para que sejam mais visíveis aos visitantes. Este texto explica com detalhe a relação da luz com a obra.

A sinfonia de cores composta por Gaudí atinge o seu ápice no fim da tarde, quando a nave fica totalmente inundada com o tons avermelhados do pôr do sol e todo o espaço é tomado por uma atmosfera intensamente cálida e mágica.

A sinfonia de cores composta por Gaudí
A sinfonia de cores composta por Gaudí. Adriana Setti/Arquivo pessoal
A inspiração nas formas da natureza, visível nas colunas
A inspiração nas formas da natureza, visível nas colunas. Adriana Setti/Arquivo pessoal

2. Evite fazer a visita na metade da manhã

A igreja costuma ficar muito mais cheia de manhã, principalmente das 10h às 13h. Em parte, isso de deve ao horário que os cruzeiros atracados na cidade fazem as suas excursões. Se você não puder fazer a visita no fim da tarde, vá logo na hora de abertura, às 9h.

3. Visite uma das torres

É fato que a entrada mais básica da sagrada família já é cara: € 26. Pra subir em uma das torres (a escolha é aleatória, não é possível optar), fica ainda mais salgado: € 36. Mas, acredite, vale cada centavo. Do alto das torres não apenas se tem a vista mais espetacular de Barcelona, como dos detalhes da fachada.

Pra cima, é fácil. Você sobe de elevador até o mirante mais alto. Depois, tem que descer por conta própria por uma escadinha em caracol infinita cuja arquitetura também é alucinante, parando em vários pequenos mirantes pelo caminho. É aí que você vai entender o motivo pelo qual crianças menores de 6 anos não podem subir às torres, assim como pessoas com problemas de locomoção. Estreita, e sem corrimão em um dos lados, de onde dá pra ver o vão central, a escadaria definitivamente também não é indicada pra quem tem medo de altura, assim como os mirantes (posso atestar isso em primeira pessoa).

Ao reservar a entrada das crianças, que é grátis, você não será informado do fato de que menores de 6 anos não podem subir — ao visitar a igreja com o meu sobrinho, só descobri isso na porta do elevador. Por isso, caso seja o único adulto acompanhando uma criança até essa idade na visita, você não poderá subir até a torre.

Bananas? Alguns detalhes muito loucos que você só consegue enxergar das torres
Bananas? Alguns detalhes muito loucos que você só consegue enxergar das torres. Adriana Setti/Arquivo pessoal
Continua após a publicidade
Garrafas recicladas em detalhe da fachada, num close que só é possível de uma das torres
Garrafas recicladas em detalhe da fachada, num close que só é possível de uma das torres. Adriana Setti/Arquivo pessoal
Vista de Barcelona emoldurada pela Sagrada Família
Vista de Barcelona emoldurada pela Sagrada Família. Adriana Setti/Arquivo pessoal
Uma das cruzes, vista da torre
Uma das cruzes, vista da torre. Adriana Setti/Arquivo pessoal
Detalhes do alto da igreja, vistos do mirante da torre
Detalhes do alto da igreja, vistos do mirante da torre. Adriana Setti/Arquivo pessoal
A escada para descer: contraindicada para quem tem vertigem
A escada para descer: contraindicada para quem tem vertigem. Adriana Setti/Arquivo pessoal

4. Compre com antecedência

Essa é velha, mas vale reforçar: comprando pela internet você evita a fila e escolhe exatamente a hora da visita.

5. Baixe o app audioguia com antecedência

A forma mais fácil de fazer um passeio guiado é com o app audioguia no seu celular. Pra isso, é preciso comprar as entradas on-line, baixar o app oficial e descarregar as entradas no app introduzindo o localizador da reserva, o e-mail e a data da visita. Só assim o audioguia é liberado e ativado. Ou seja, é melhor fazer isso com antecedência pra não perder tempo uma vez lá. O app traz várias outras informações interessantes sobre a história, como chegar, mapa etc.

6. Tente ir nos dias grátis e especiais

Nos dias 23 e 24 de setembro, das 16h às 20h, e no dia 25 de setembro, das 10h30 às 14h30, a Sagrada Família celebra os seus Dias de Portas Abertas, coincidindo com as festividades da Mercè, padroeira da cidade. Este ano, as 15 mil pessoas que terão a oportunidade de visitar a igreja vão poder ver as esculturas dos santos que vão decorar as torres no futuro. Pra isso, você precisa participar de um sorteio. Inscreva-se aqui.

Procure acomodação em Barcelona

Leia tudo sobre Barcelona

Compartilhe essa matéria via:

Continua após a publicidade

Fonte: Viagem e Turismo