O que se sabe sobre o tiroteio que deixou ao menos 10 mortos no Estado de NY, nos EUA

Imagem mostra polícia isolando área com cordão

Crédito, Reuters

Legenda da foto,

Acredita-se que o suspeito – que foi detido – tenha dirigido durante horas para chegar à área predominantemente negra de Buffalo

Reportagem atualizada às 22h17 do dia 15/05/2022

Dez pessoas foram mortas em um tiroteio que ocorreu em um supermercado no Estado de Nova York neste sábado (15/05), segundo a polícia.

Um jovem de 18 anos foi preso no local, na cidade de Buffalo. Ele não tinha sido identificado pela polícia até a publicação deste texto.

O suspeito entrou no movimentado supermercado antes de abrir fogo enquanto usava uma câmera para transmitir ao vivo o ataque em uma plataforma online, disse a polícia. O suspeito deve prestar seu primeiro depoimento no tribunal para se defender das acusações de assassinato ainda neste sábado.

O FBI está investigando o tiroteio – que deixou outras três pessoas feridas – como um crime de ódio motivado por racismo.

Em uma entrevista coletiva à imprensa, a polícia disse que o suspeito carregava armamento pesado enquanto usava colete à prova de balas e capacete tático.

“Este é o pior pesadelo que qualquer comunidade pode enfrentar e estamos sofrendo agora”, disse o prefeito de Buffalo, Byron Brown.

Ele acrescentou que o suspeito não era da cidade e acredita-se que ele tenha dirigido por várias horas para chegar à área predominantemente negra de Buffalo.

“Estamos investigando este incidente como um crime de ódio e um caso de extremismo violento com motivação racial”, disse Stephen Belongia, agente especial encarregado do escritório do FBI em Buffalo, em entrevista coletiva.

Falando à rede CBS, uma fonte policial disse que o suspeito detido teria gritado insultos raciais durante o ataque.

O presidente dos EUA, Joe Biden, foi informado sobre o tiroteio. “O presidente e a primeira-dama estão orando por aqueles que perderam familiares e por seus entes queridos”, disse um comunicado da Casa Branca.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte: BBC

Marcações: