Polícia do peso! Companhia aérea é acusada de controlar os quilos dos comissários

Polêmica no ar! Jornais e portais internacionais trouxeram à tona denúncias contra a Emirates. Uma das melhores companhias do mundo virou manchete devido ao seu Programa de Gerenciamento de Aparência. Segundo as reportagens, por trás daquele batom vermelho, sorriso na boca e uniforme impecável há muito controle diário e qualquer peso extra pode ser punido e até motivo de demissão.

Independente do fuso horário ou do jet lag o rosto glamouroso e o sorriso das comissárias da Emirates são fundamentais para darem boas-vindas aos passageiros. Isto é marca registrada na empresa. Mas segundo a ex-comissária de bordo Maya Dukaric, tudo é inspecionado por “oficiais de imagem e higiene”, dedicados a garantir a manutenção dos padrões da companhia.

O controle não é feito somente se o uniforme esta impecável, o cabelo arrumado e a maquiagem perfeita, segundo as ex-funcionárias há na empresa um controle restrito sobre o peso das comissárias. Em entrevista ao portal de notícias Insider, Dukaric disse que a “polícia do peso” estaria presente nos aeroportos e pararia a tripulação periodicamente para dizer: “Ei, querida. Você precisa desacelerar.”

Ex-comissária Maya Dukaric

Karla Bayson, de 36 anos que trabalhou na companhia aérea por nove anos, destacou à Insider que teve colegas que receberam avisos sobre seu peso e a companhia deu duas semanas para “perdê-lo”. E a cada duas semanas, eles seriam “verificados novamente”, acrescentou.

Os funcionários acima do peso recebem apoio de nutricionista com plano de exercícios e dieta. Mas quem não perder o peso extra pode ter o salário prejudicado. “Se eles virem você saindo do uniforme, eles a colocarão no chão”, disse Bayson, referindo-se à prática de remover comissários do trabalho em voos por um determinado período de tempo somente porque ganhou uns quilinhos.

Ex-comissária Duygu Karaman

Outra ex-comissária de bordo da Emirates, Duygu Karaman disse ao Daily Mirror que conhecia colegas de castigo com problemas de peso cujo o pagamento foi reduzido. Um ex-funcionário de RH da companhia confirmou ao Insider o uso de tais punições. Essa pessoa, que não teve o nome divulgado, disse que os comissários de bordo que não atendessem aos padrões de imagem e uniformes em relação ao peso poderiam ser suspensos do voo e, portanto, não receberiam o pagamento das diárias de voo, parte importantíssima e complementar ao salário base.

Esta pessoa do Recursos Humanos estima que cerca de “150 de 25.000” comissários de bordo estão sempre sendo acompanhados de perto pelo programa. Ele completa que os funcionários que falhassem em atingir as metas, o melhor cenário era uma transferência de departamento. Já Dukaric vai mais longe e garante que os comissários de bordo com excesso de peso também podem ser demitidos.

O padrão de aparência é bem forte em muitas companhias principalmente as do Oriente Médio e Ásia. Os programas de beleza são conhecidos e já fazem parte até dos processos seletivos. No da Emirates tatuagens aparentes até quando em trajes de banho são proibidas.

A Emirates foi procurada pela Insider, mas se recusou a falar diretamente sobre as acusações e a “polícia do peso”. “Não comentamos políticas ou procedimentos internos ou casos específicos e confidenciais de funcionários existentes ou passados”, disse a empresa em comunicado.

“Como uma companhia aérea global, tratamos o bem-estar de nossos funcionários com a mais alta prioridade e acreditamos que estar em forma e saudável, tanto física quanto mentalmente, é um aspecto crítico para que eles cumpram suas funções com segurança e eficácia”, ressaltou a nota. “Pode nem sempre ser aparente para nossos clientes, mas as responsabilidades de nossa tripulação de cabine são vastas, e sua capacidade de influenciar e alcançar resultados seguros quando necessário, requer treinamento extensivo e um padrão mínimo de condicionamento físico”, reforçou a companhia.


Veja também:

Fonte: Melhores Destinos