Trabalhadores agrícolas de Orlando se unem ao protesto em defesa dos imigrantes

A manifestação em defesa dos imigrantes mobilizará trabalhares agrícolas no Lake Eola Park

Trabalhadores agrícolas participarão de manifestação em Orlando, que acontece nesta segunda-feira, no Lake Eola Park – exigem reforma da imigração para indocumentados. As manifestações ocorrerão em Washington DC, Los Angeles, Chicago, Nova York, Houston, Dallas, Boston, Atlanta, São Francisco, Atlanta, Filadélfia, entre outras cidades

Da Redação

Em defesa dos imigrantes que trabalham nas lavouras de Orlando – importante mão de obra do setor agrícola –, a “Flórida Farm Workers Association” realizará um comício nesta segunda-feira, em Orlando, durante o “A Day Without Immigrants” para mostrar apoio e respeito à comunidade imigrante. O evento acontecerá no Lake Eola Park, na esquina NE da Robinson Street com a North Eola Drive, em Orlando, nesta segunda-feira, 14, das 13h às 16h.

Dessa forma, Orlando se junta a outras 12 cidades americanas que vão marchar e protestar em defesa dos imigrantes. Os manifestantes também exigirão que o governo dos EUA aprove uma reforma da imigração para os 11 milhões de imigrantes indocumentados que estão nas sombras.

As manifestações ocorrerão em Washington DC, Los Angeles, Chicago, Nova York, Houston, Dallas, Boston, Atlanta, São Francisco, Atlanta e Filadélfia, entre outras cidades.

O sindicato disse que apoia os trabalhadores que com seu suor garantem que “temos comida em nossas prateleiras e em nossos pratos”, que, “constroem arranha-céus e casas, e que também iniciam seus próprios negócios e ingressam em campos de carreira.”

A diretoria do Sindicato lembrou que os EUA, desde a sua criação, contam com a mão de obra imigrante fazendo alguns dos trabalhos mais difíceis e menos apreciados para ter uma chance de uma vida melhor para suas famílias.

“Hoje e todos os dias, nos solidarizamos com a dignidade e o respeito da diversificada comunidade imigrante desta nação”, disse o Sindicato em comunicado.

A associação observou que os imigrantes deixam suas casas e famílias para trás “para escapar de convulsões econômicas, ambientais e sociais por razões além de seu controle, muitas vezes como resultado de políticas adotadas por nações mais ricas”.

Fonte: Nossa Gente