É ouro! Rebeca Andrade tem novo feito histórico na prova do salto em Tóquio

A ginasta Rebeca Andrade faz história em Tóquio e ganha o ouro na prova de salto

 

Rebeca Andrade faz história nas Olimpíadas de Tóquio ao conquistar neste domingo a medalha de ouro na prova do salto, e se tornar a primeira medalhista olímpica da história da ginástica feminina do Brasil. Rebeca ainda vai disputar a prova do solo em busca de mais uma medalha nesta segunda-feira, às 04:57, no horário dos EUA

 

Da Redação

Foi uma exibição espetacular da brasileira Rebeca Andrade, que conquistou mais um feito histórico nas Olimpíadas de Tóquio, ao ganhar a medalha de ouro para o Brasil, na ginástica artística. Um salto valioso neste domingo da jovem de Guarulhos (grande SP), após faturar a prata no individual geral e se tornar a primeira brasileira medalhista olímpica na ginástica artística a subir no pódio duas vezes.

 

Performance triunfal na prova – A brasileira, que já havia conquistado a medalha de prata na prova do individual geral, sobe no lugar mais alto do pódio dessa vez. Rebeca ficou com a nota final de 15.083 depois de dois saltos, e não foi superada por mais nenhuma ginasta. A medalha de prata ficou com a norte-americana MyKayla Skinner (14.916) e a de bronze com a sul-coreana Yeo Seo-jeong (14.733).

“Não foi o meu melhor salto, mas fiquei feliz em conquistar a medalha de ouro para o Brasil. Estou feliz porque foram muitos treinos para chegar até aqui, esforços que valeram a pena”, disse Rebeca emocionada.

Lembrando que as primeiras mulheres brasileiras medalhistas olímpicas foram Jaqueline Silva, Sandra Pires, Adriana Samuel e Mônica Rodrigues. Elas fizeram uma dobradinha na estreia do vôlei de praia nos Jogos. Rebeca agora se tornou a primeira mulher do Brasil com duas medalhas numa só edição dos Jogos e ainda pode ir a três pódios. A ginasta disputa a final do solo com o Baile de Favela nesta segunda-feira, às 4h57 (dos EUA).

Entre os homens, o primeiro brasileiro a conquistar duas medalhas olímpicas em uma mesma edição de Olimpíadas foi o atirador Afrânio da Costa, nos Jogos da Antuérpia 1920.  Na “Rio 2016”, o canoísta Isaquias Queiroz se tornou o primeiro atleta do país a superar essa marca, com três medalhas.

 

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook