Mercadão de São Paulo tem programação especial em fevereiro

O Mercado Municipal de São Paulo, que acabou de completar 89 anos, terá uma programação musical especial durante os finais de semana de fevereiro. Das 12h às 14h, as ruas que cercam um dos principais pontos turísticos da capital paulista se tornarão palco para grupos de samba, forró e gafieira.

Um dos destaques da programação são as apresentações da Escola de Samba Unidos da Vila Maria, uma das mais tradicionais de São Paulo. Todo sábado e domingo, das 13h às 13h30, o público poderá conferir o desfile de alguns componentes da escola, incluindo integrantes da bateria, porta-bandeiras e passistas.

O forró fica por conta do grupo Forró Brasilis, que promete trazer um repertório de músicas tradicionais nordestinas. Já a banda Conexão Brasil New Orleans tocará tanto os xotes de Luiz Gonzaga quanto os sambas de Adoniran Barbosa. As gafieiras de Pixinguinha e Paulinho da Viola, por fim, são especialidade do Samba da Glória.

Forró Brasilis
O Forró Brasilis é uma das atrações. Crédito: Forró Brasilis/Divulgação

Confira, a seguir, a programação completa durante o mês de fevereiro:

Dias 5 e 6
12h às 12h30 – Banda Conexão Brasil New Orleans
13h às 13h30 – Escola de Samba Vila Maria
14h às 14h30 – Banda Conexão Brasil New Orleans

Dias 12 e 13
12h às 12h30 – Banda Forró Brasilis
13h às 13h30 – Escola de Samba Vila Maria
14h às 14h30 – Banda Forró Brasilis

Continua após a publicidade

Dias 19 e 20
12h às 12h30 – Banda Conexão Brasil New Orleans
13h às 13h30 – Escola de Samba Vila Maria
14h às 14h30 – Banda Conexão Brasil New Orleans

Dias 26 e 27
12h às 12h30 – Banda Samba da Glória
13h às 13h30 – Escola de Samba Vila Maria
14h às 14h30 – Banda Samba da Glória

Antes ou depois das apresentações musicais, o Mercadão continua sendo um programaço com os tradicionais sanduíches de mortadela, bolinhos e pastéis de bacalhau (há quem ame, há quem veja neles um grande pega-turista). Porém, é importante não bobear com o celular e a carteira e estar atento ao “golpe das frutas”, que vem se tornado cada vez mais comum. Os vendedores das barracas seduzem os visitantes com degustações gratuitas de frutas “exóticas” (isso, sim, um grande pega-turista) e vão montando as bandejas. Na hora de pagar, vem o susto: o preço informado era por cem gramas, e não por quilo.

Leia tudo sobre São Paulo

Busque hospedagem em São Paulo

Resolva sua viagem aqui

Continua após a publicidade

Fonte: Viagem e Turismo