Epidemia de fake news ameaça vacinação em terras indígenas

Em meio à pandemia de coronavírus, indígenas estão vulneráveis a outro tipo de vírus: as chamadas “fake news”, que se espalham principalmente pelo WhatsApp nas comunidades indígenas.

E por causa delas e de mensagens com questionamentos sem base científica à segurança dos imunizantes, muitos indígenas estão se recusando a tomar a vacina contra a covid-19, ficando suscetíveis à doença.

Nesta reportagem especial e exclusiva, a repórter Juliana Gragnani, da BBC News Brasil, conta a história de um helicóptero com equipes de vacinação que foi expulso de uma aldeia; a de um indígena que precisou convencer os pais a aceitarem a vacina e de uma enfermeira que precisou conscientizar o próprio irmão.

“Vi parentes indígenas falarem que viram que mais de 900 indígenas no Xingu teriam morrido por conta da vacina. Uma senhora com mais de 90 anos me disse que não iria se vacinar por causa disso”, contou o comunicador e empreendedor indígena Anápuàka Tupinambá.

“Nenhuma região do país está a salvo (das notícias falsas), nem áreas isoladas como Amazônia e Pará”, completou.

Confira as raízes e as consequências desse problema.

Fonte: BBC