Exceção à Coronavac compromete viagem do turista brasileiro ao exterior

Brasileiros vacinados com a Coronavac podem ter restrições em aeroportos do exterior

 

O Reino Unido anunciou nesta quinta-feira (7) a liberação de entrada para viajantes brasileiros, mas faz ressalvas: brasileiros que tomaram a Coronavac vão precisar cumprir o período de isolamento. Nos EUA a liberação acontece em novembro, entretanto, no site do CDC não consta o imunizante chinês entre as vacinas aprovadas pelo país

 

Da Redação

Entre os países que recebem um grande número de turistas brasileiros ainda permanece uma divergência sobre a liberação de pessoas vindas do Brasil vacinadas contra Covid-19 com a Coronavac. Mas por qual o motivo o imunizante chinês, desenvolvido pela farmacêutica Sinovac Life Science, continua sendo um entrave para brasileiros com viagem aos EUA e Reino Unido, por exemplo? Essa a preocupação de quem se organiza para viajar ao exterior. Como resolver esse impasse se a grande maioria dos brasileiros foi imunizada com Coronavac?

Turista brasileiro na mira de restrições – Os EUA, como foi determinado, a partir de novembro permitirá a entrada de estrangeiros, após a flexibilizarão das restrições. Tudo certo, não fosse o CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) divulgar em seu site os imunizantes aprovados pelo país: Pfizer, Moderna e Janssen e Oxford/AstraZeneca – todos listado pela Organização Mundial de Saúde (OMC). Não há menção à Coronavac.  

O Reino Unido anunciou nesta quinta-feira (7) a liberação de entrada para viajantes brasileiros – a partir da próxima segunda-feira. Ficou evidente no comunicado que: pessoas que já tomaram as duas doses da vacina contra Covid-19 a pelo menos 14 dias podem entrar nos país sem realizar quarentena de 10 dias, precisando apenas apresentar teste negativo para o coronavírus e o comprovante de imunização.

Entretanto, a ressalva desta liberação é de que a permissão de entrada no Reino Unido só é válida para imunizantes aprovados no país: AstraZeneca, Janssen, Moderna e Pfizer. Brasileiros que tomaram a Coronavac ou que não estão vacinados ainda vão precisar cumprir o período de isolamento. A quarentena não precisa mais ser realizada em hotéis vinculados ao governo.

No Canadá, podem entrar os estrangeiros totalmente vacinados que apresentem comprovante de imunização completa – ou combinação de vacinas –, aceita pelo governo federal pelo menos 14 dias antes da chegada. Atualmente, são aceitas as vacinas da Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen. Coronavac não consta na relação de imunizantes.

 

Alemanha e Espanha

Pouco mais de uma semana depois de liberar a entrada de brasileiros que tomaram a vacina Coronavac, a Alemanha passa a permitir a entrada somente daqueles que tomaram doses de vacinas aprovadas pela Agência de Medicamentos da Europa (EMA). Este não é o caso da Coronavac.

A liberação da entrada de brasileiros vacinados com a Coronavac e dos que ainda não se vacinaram havia sido decidida uma semana atrás e exigia apenas a apresentação de um teste de PCR negativo.

As vacinas admitidas na Espanha são aquelas autorizadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ou que tenham concluído o processo de uso emergencial da OMS. O laboratório Sinovac, da China, produtor da Coronavac, está incluído na lista, uma vez que a vacina completou o processo de uso emergencial da OMS. Pessoas com o calendário completo podem entrar no país.

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook