Mineira corre Maratona de Boston para ajudar causa solidária

A ativista política, Priscila Sousa, encara mais um desafio em sua carreira. Depois de…

A ativista política, Priscila Sousa, encara mais um desafio em sua carreira. Depois de participar de um processo eleitoral na cidade de Framingham (Massachusetts), ela correu na Maratona de Boston, em 2018. Ela se apaixonou pela prática ainda mais depois de saber que pode usar isso para ajudar as pessoas.

Atualmente ela está treinando para a maratona deste ano que acontece dia 15 de abril, próxima segunda-feira. Priscila destaca que correrá para arrecadar dinheiro para a Lenny Zakim Fund, que ajuda aproximadamente 80 organizações em Massachusetts.

A LZF trabalha para proporcionar um mundo onde há igualdade, justiça e dignidade para cada indivíduo. Ela também visa fornecer moradia, comida e oportunidades econômicas para todos.

Além de Priscila, outros corredores participarão da maratona com o objetivo de ajudar a fundação. “O seu apoio ao Team LZF permitirá que ela continue apoiando e fortalecendo programas que abordam questões importantes em nossas comunidades”, disse.

O Lenny Zakim Fund, criada em 1995 por Lenny Zakim, yem o propósito de refletir seu trabalho e ideais, fornecer recursos que capacitem pessoas e comunidades carentes a lidar efetivamente com injustiças sociais e econômicas.

Priscila destaca que entre as organizações parcerias da LZF está o Grupo Mulher Brasileira. “A mina meta é arrecadar US$ 10 mil dólares e até a tarde de sexta-feira havia sido doados quase US$4,599.

Quem quiser colaborar pode acessar o link http://bit.ly/2Z9e5iD e fazer uma doação.

OUTROS PROJETOS

Além da Maratona de Boston, Priscila continua seu envolvimento nas questões políticas da Cidade, através do Human Relations Commission e no comitê de organização da equipe da Cidade que corre a maratona (Team Framingham Steering Committee). “Faço parte da equipe de consultoria para o planejamento estratégico das bibliotecas de Framingham e participo como voluntária em seus eventos beneficentes”, disse.

A maioria do seu envolvimento comunitário hoje em dia é através das ONGs locais. “Estou no board do Amazing Things Arts Center, Framingham Force (que lida com a crise de dependência química na cidade), Daniel’s Table (que busca a garantir segurança alimentar a todas as famílias do estado), o comitê organizador da corrida anual de 5 quilômetros para a organização Voices Against Violence (que se trata de violência doméstica) e Hoops and Homework”, continua. 

Priscila diz que se sente muito privilegiada em poder trabalhar com todas as organizações, especialmente a Hoops and Homework, que traz assistência académica, social e alimentar a crianças de famílias de baixa renda. “No ano passado tive a oportunidade de liderar o seu projeto, em parceria com a organização Kaboom! e CarMax, de montar um parquinho novo em uma área negligenciada da cidade. Tiramos um parquinho condenado da área e colocamos um novo, feito de acordo com as preferências da comunidade (especialmente as crianças). Nesse projeto, as crianças eram os meus chefes e o que eles mandavam, eu tinha que arrumar um jeito de fazer acontecer”, finaliza. 

Fonte: Redação Braziliantimes

Fonte: Brazilian Times

Comentários Facebook