Brasileiro preso com a esposa, acusado de abuso sexual infantil, pode pegar pena de morte na Geórgia

Um casal de brasileiros foi preso na Geórgia sob a acusação de perseguição, abuso sexual e estupro contra menores. O caso ocorreu na cidade de Marietta. De acordo com as informações divulgadas pelas autoridades locais, Daniel Matos já tinha outras passagens pela polícia. “Ele atuou em parceria com sua esposa, Arynna Barboni”, afirma a acusação.

Ainda, de acordo com o boletim policial, o casal trabalhava junto em uma espécie de “organização criminosa” para incitar menores a praticar atos sexuais. Essa prisão, em particular, foi por conta de uma garota de 14 anos que teria sido atraída por Daniel.

Os dois estão presos e não têm direito a fiança. Informações divulgadas por jornais locais afirmam que Arynna trabalhava como babá, à noite, e filmou seu marido fazendo sexo com menores. As crianças que ela cuidava eram filhos e filhas de brasileiros. Ela também trabalhava com venda de cremes e outros produtos de beleza durante o dia. Pelo menos seis famílias já fizeram queixas formais à polícia por suspeita de aliciamento ou agressão às filhas.

Abuso infantil com estupro pode dar pena de morte

De acordo com as leis da Geórgia, uma pessoa condenada por abuso sexual infantil, em primeira condenação, pode receber uma sentença de 5 anos até 20 anos de prisão. Caso seja a segunda condenação, a pena mínima é duplicada para 10 anos. Os condenados são registrados como agressor sexual para o resto da vida.

No caso de estupro, o condenado pode enfrentar pena de morte, prisão perpétua sem liberdade condicional ou um mínimo de 25 anos de prisão seguido de liberdade condicional para o resto da vida. De acordo com o escritório do xerife do condado de Cobb, Daniel Matos possui duas acusações de abuso infantil e uma de estupro. O Departamento de Imigração e Alfândega (ICE, sigla em inglês) foi informado sobre este caso. // Brazilian Times.

Fonte: Brazilian Press

Comentários Facebook