EUA iniciam operação de expulsão em massa de imigrantes no Texas 

Deportação em massa no Texas movimenta Agentes da Alfândega e Proteção de Fronteiras

 

Para conter os 12 mil imigrantes embaixo da ponte em Del Rio, no Texas, Agentes da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA iniciaram neste domingo uma operação de expulsão em massa dessas pessoas, que pedem asilo político no país. O principal alvo são os haitianos, que estão sendo levados a Porto Príncipe em voos fretados pelos EUA

 

Da Redação 

Cerca de 12 mil imigrantes continuam embaixo da ponte em Del Rio, no Texas, após cruzarem o Rio Grande de Ciudad Acuña, no México. Neste domingo, Agentes da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, iniciaram uma verdadeira caçada a esses imigrantes, bloqueando as fronteiras e enviando de volta para casa quem fosse pego. A grande demonstração de força deu início ao que poderia ser uma das maiores e mais rápidas expulsões americanas de imigrantes e refugiados em décadas.

Mais de 320 imigrantes haitianos chegaram a Porto Príncipe no domingo em três voos, e o Haiti disse que espera outros seis voos nesta terça-feira. Ao todo, as autoridades dos EUA planejavam expulsar muitas das mais de 12.000 pessoas acampadas ao redor de uma ponte em Del Rio, Texas, depois de cruzar a cidade de Acuña, no México.

Os EUAs planejam organizar sete voos diários de remoção a partir de quarta-feira, quatro para Porto Príncipe e três para Cap-Haitien, de acordo com uma autoridade norte-americana que não foi autorizada a comentar o assunto publicamente. Os voos continuarão partindo de San Antonio, embora as autoridades possam adicionar outra rota de El Paso, acrescentou.

O único exemplo óbvio de expulsão em massa sem oportunidade de pedir asilo foi em 1992, quando a Guarda Costeira interceptou refugiados haitianos no mar, disse Yael Shacher, um ativista norte-americano da “Refugees International”, que baseou seus estudos de doutorado na história da lei americana de asilo.

 

México adere a deportação

O México anunciou no domingo que também começaria a deportar haitianos para seu país. Uma autoridade disse que os voos partiriam de cidades próximas à fronteira com os EUA e a fronteira com a Guatemala, onde permanece o maior grupo de imigrantes.

Nos últimos anos, um grande número de haitianos imigrou da América do Sul para os EUA. Muitos deles deixaram seu país caribenho após um terremoto devastador em 2010. Quando os empregos associados aos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, terminaram, muitos empreenderam a perigosa jornada até a fronteira americana, a pé, de ônibus e de carro.

Os imigrantes da América Central também cruzaram a fronteira em contingentes semelhantes sem serem sujeitos a expulsões em massa, embora o México tenha concordado em recebê-los dos EUA dentro de um mandato associado à pandemia introduzida em março de 2020.  

 

 

 

Fonte: Nossa Gente

Comentários Facebook