A precária e perigosa vida dos pescadores da Faixa de Gaza

Mais de 4 mil pescadores da Faixa de Gaza já voltaram ao trabalho após o mais recente conflito entre Israel e o grupo extremista Hamas, que matou 250 palestinos e 13 israelenses.

Um frágil cessar-fogo está em vigor, o que permitiu que os trabalhadores voltassem ao mar.

Mesmo assim, eles enfrentam restrições de Israel, que limita até onde os barcos podem chegar.

Se ultrapassarem o limite, os pescadores podem ser presos ou ser alvo de disparos.

“Fui atingido no olho. Estava pilotando meu barco e caí, vomitando sangue”, diz Rajab, pescador que diz já ter sido alvejado duas vezes, a última delas por bala de borracha.

“Eu tinha uma visão perfeita. Agora, não vejo nada além de três metros”, acrescenta.

A associação local de pescadores afirma que, desde janeiro de 2021, já houve 134 incidentes que envolveram prisões ou tiros. Israel argumenta que só atua para se defender.

As limitações são parte do bloqueio israelense a Gaza que, segundo Israel, têm como objetivo evitar que armas cheguem ao Hamas e a outros grupos militantes palestinos.

Por causa do embargo, volta e meia os pescadores se veem com um excesso de oferta de peixes no comércio de Gaza.

Com isso, se veem obrigados a contrair dívidas para continuar trabalhando.

Confira no vídeo.

Fonte: BBC

Comentários Facebook