Patrulha de fronteira tem limite do que pode compartilhar sobre a crise de imigração

O governo Biden está restringindo as informações que os agentes da Patrulha de Fronteira e chefes de setor podem compartilhar com a mídia enquanto um aumento no número de migrantes testa as capacidades da agência na fronteira sul, de acordo com funcionários da Alfândega e Proteção de Fronteiras. Em entrevista exclusiva à NBC News.

As autoridades comentaram que as restrições são vistas como uma “ordem de silêncio” não oficial e muitas vezes mencionadas como tal entre os colegas. Além disso, os funcionários pediram à NBC News que permanecesse anônima porque não estavam autorizados a falar com a mídia sobre o assunto.

De acordo com os entrevistados, os oficiais da Patrulha de Fronteira foram instruídos a negar todos os pedidos da mídia para acompanhar os agentes em seus deveres de patrulha ao longo da fronteira.

Eles também especificaram que os assessores de imprensa locais são instruídos a enviar todas as solicitações de informações, incluindo as da mídia local, para a assessoria de imprensa em Washington, DC para aprovação; e os responsáveis ​​pela coleta de dados sobre o número de migrantes sob custódia foram lembrados de não compartilhar as informações com ninguém para evitar vazamentos, disseram as autoridades.

Várias organizações de notícias, incluindo a NBC News, solicitaram acesso ou fotos do interior das instalações de processamento que abrigam crianças migrantes desacompanhadas após relatos de excesso de capacidade; eles foram negados.

As novas restrições foram comunicadas verbalmente, não por meio de um memorando oficial, disseram as autoridades. A política não oficial levou alguns agentes na fronteira a postar vídeos mostrando prisões em massa e ondas de migrantes sem permissão de Washington, disseram duas autoridades.

A Alfândega e Proteção de Fronteiras e o Departamento de Segurança Interna não ofereceram visitas à mídia na instalação de processamento recém-inaugurada em Donna, Texas, que está supostamente lotada com crianças migrantes desacompanhadas, disse um funcionário do Departamento de Segurança Interna (DHS).

Algumas das restrições, principalmente para viagens presenciais, são devidas a precauções do COVID-19, disse um dos atuais funcionários. Mas, como disse o atual funcionário, embora o governo Trump tenha permitido algumas viagens pela fronteira para jornalistas durante a pandemia, não houve “nenhuma desde 20 de janeiro”, o dia em que o presidente Joe Biden assumiu o cargo.

Um porta-voz do DHS disse que a agência está seguindo os padrões definidos em 2014.

Um oficial, que serviu nas últimas três administrações, disse que a situação atual do pessoal da Alfândega e Proteção de Fronteiras é mais semelhante ao que era durante o governo Obama.

“Foi mais restritivo sob Obama do que sob Trump, quando havia mais autonomia para cada região falar com a mídia”, disse o atual segundo funcionário.

Com a mudança de tom do governo Biden, que se comprometeu com um sistema mais humano na fronteira sul, alguns agentes de fronteira postaram vídeos sem permissão.

Um desses vídeos foi postado online no fim de semana pelo escritório do deputado Henry Cuellar, Democrata do Texas. O vídeo mostra dezenas de migrantes, incluindo crianças pequenas, sendo transportados de barco pelo Rio Grande. Uma porta-voz de Cuellar disse que o vídeo foi filmado em março, mas que “a congressista Cuellar não pode dizer quem lhe deu o vídeo”. No entanto, dois oficiais disseram que o vídeo veio de um agente de fronteira.

Fonte: Brazilian Press