Trump diz “gostar” de comparação com Bolsonaro

Foto32 Donald Trump e Jair Bolsonaro Trump diz “gostar” de comparação com BolsonaroO Presidente Donald Trump elogiou a vitória eleitoral de Jair Bolsonaro no Brasil

Ao longo da campanha política, Bolsonaro foi frequentemente apelidado de “Trump dos trópicos” ou “Donald Trump do Brasil” por simpatizantes

O presidente Donald Trump disse que só gosta do Brasil porque o recém-inaugurado presidente de extrema direita gosta de ser comparado a ele.

“O Brasil tem um grande novo líder”, disse Trump nesta segunda-feira (14), enquanto participava da convenção anual da American Farm Bureau Federation em Nova Orleans, Louisiana, David Nakamura, do jornal Washington Post. “Eles dizem que ele (Bolsonaro) é o Donald Trump do Brasil. Você acredita nisso? Mas ele gosta disso”, continuou o presidente. “Se não fosse, eu não gostaria do país”, acrescentou.

Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil em um segundo turno no final de outubro. Ao longo da campanha, ele foi frequentemente apelidado de “Trump dos trópicos” ou “Donald Trump do Brasil”. Entretanto, alguns analistas alertaram que Bolsonaro é realmente muito mais extremo do que seu colega em Washington-DC.

O líder de extrema-direita e ex-congressista, Bolsonaro falou com carinho da ditadura militar do país, que terminou em 1985, referindo-se à ela como um “período muito bom”. Ele também falou positivamente sobre tortura e uma vez disse a uma colega que ela não merece seu estupro. Ele também disse que prefere que seu filho morra do que fosse gay. Em 2016, quando pressionada pela atriz LGBT, Ellen Page, sobre suas posições sobre a série de documentários Gaycation, Bolsonaro respondeu que ele não a via como gay e que assoviaria para ela se fosse mais jovem.

. Polêmicas:

Desde que assumiu o cargo, em 1º de janeiro, a administração de Bolsonaro já passou a ter como alvo a população LGBT do Brasil, assim como os descendentes de escravos e a comunidade indígena, segundo a Associated Press. Mas suas visões e políticas controversas, que têm sido caracterizadas por muitos como abertamente racistas e sexistas, não incomodaram a administração Trump. Pelo contrário, o presidente e o secretário de Estado, Mike Pompeo expressaram apenas elogios e apoio ao novo líder brasileiro.

“Um grande encontro com o Presidente Jair Bolsonaro para reforçar nosso compromisso comum com a democracia, educação, prosperidade, segurança e direitos humanos”, postou Pompeo no Twitter após participar da posse do presidente brasileiro, compartilhando uma foto do encontro. Pompeo também agradeceu ao Brasil pela “hospitalidade”, referindo-se à eleição de Bolsonaro como um “novo capítulo” na democracia do país.

Após o discurso inaugural de Bolsonaro, Trump também twittou seu apoio, dizendo: “Parabéns ao Presidente Jair Bolsonaro, que acaba de fazer um excelente discurso de posse. Os EUA estão com você!”

Enquanto isso, ativistas e jornalistas brasileiros soaram o alarme sobre os projetos de Bolsonaro para o país. O ativista LGBT Symmy Larrat apontou que o novo governo já acabou com o ministério de direitos humanos do país.

“Aquele órgão simplesmente desapareceu, exatamente assim”, ela disse à AP. “Não vemos nenhum sinal de que haverá qualquer outra infraestrutura governamental para lidar com questões LGBT”.

Fonte: Brazilian Voice