Testes mostram resultados alarmantes de bactérias nas alças de carrinhos de supermercados

Quantas mãos diferentes e sujas podem tocar a alça de um carrinho ou cesta de compras em apenas um dia? Milhares. Além disso, outros tipos de sujeiras, como fezes de animais em carrinhos, colaboram para a proliferação da sujeira que pode acabar provocando doenças em objetos compartilhados.

A fim de ver quanto de sujeira ficamos expostos diariamente, as alças de carrinhos de 10 supermercados diferentes do sul da Flórida passaram por testes para verificação de níveis de bactérias e o resultado surpreendeu até mesmo os pesquisadores.

Mulher corta o dedo com lâmina embutida em carrinho do Walmart

“Algumas formas de infecções na garganta serão causadas por bactérias”, disse Dr. Robert Smith, professor associado de ciências biológicas da Nova Southeastern University que também analisou os resultados. “Foi detectada uma bactéria chamada pseudomonas que também pode causar infecções. ”

Ao ver pássaros pousarem e defecarem em carrinhos de compras em estacionamentos, o Local 10 News decidiu ver quanto de bactéria há em um carrinho de compras que milhares de clientes seguram, pegam e empurram.

De Davie a Coral Gables e Liberty City a Westchester, o repórter investigativo do Local 10 News Jeff Weinsier foi para 10 locais diferentes no sul da Flórida para verificar o quão limpo (ou não) pode ser um carrinho de supermercado.

Usando um kit especial fornecido pela Kappa Labs, Weinsier passou o material em cada alça dos carrinhos e levou para análise em laboratório. Os resultados mostraram que sete das 10 amostras tinham altos níveis de bactérias.

Coliformes fecais são as mais comuns.

“Eu acho que os números absolutos foram uma surpresa”, disse Peter Kmieck, da Kappa Labs.
A contagem de bactérias estava na casa dos bilhões em pelo menos três amostras.
A amostra 1 teve uma contagem total de placas de 16,3 bilhões.
A amostra 2 teve uma contagem total de placas de 169,6 bilhões.
A amostra 3 teve uma contagem total de placas de 277,6 bilhões.
Outros cinco estavam na casa dos milhares.

A contagem total de placas é a enumeração de organismos aeróbicos e mesofílicos que crescem em condições aeróbicas sob temperaturas moderadas de 20 a 45 graus Celsius. Isso inclui todas as bactérias aeróbicas, leveduras, fungos e fungos que crescem no ágar específico.

“Geralmente, não vemos essa contagem alta a menos que lidemos com coisas como esgoto bruto”, disse Kmieck. “São muitas bactérias. É por isso que temos muitas crianças doentes”, acrescentou.

Quem higieniza o carrinho ou cesta de supermercado?

Durante o teste, o repórter verificou que várias mães, pais e responsáveis colocaram as crianças direto no carrinho de compras sem higienizá-los.

“Foi rápido. Eu somente entrei e saí”, disse um dos pais.

Além disso, durante o teste, o repórter ficou na frente de um Publix em Hollywood por cerca de 30 minutos e observou que 22 pessoas passaram direto pelos lenços higienizantes gratuitos fornecidos na porta. Apenas seis pegaram um e limparam as mãos. Mas ninguém usou um lenço para limpar a alça.

“Você espera que haja uma quantidade significativa de transferência de sujeira da alça para a mão”, disse Kmieck.

Foi feito um teste também passando o lenço higienizador fornecido na porta dos supermercados nos carrinhos.
“Ele acabou com todas as bactérias presentes”, disse o repórter. “Acho que o que mais se destacou foi a eficácia da limpeza da alça do carrinho”, acrescentou Smith.

O teste mostrou também que não existe uma loja que seja pior que outra para este problema, pois os carrinhos e cesta de todas estavam muito contaminados. Com informações do Local 10.

O post Testes mostram resultados alarmantes de bactérias nas alças de carrinhos de supermercados apareceu primeiro em .

Fonte: Gazeta News

Comentários Facebook