7 erros comuns em viagens de avião e dicas para evitá-los

Viajar de avião é cada vez mais comum na vida das pessoas, já que o transporte aéreo tem se popularizado no mundo todo. Mas mesmo quem não é um passageiro de primeira viagem pode cometer erros simples que podem fazer você perder a passagem, transformar a viagem num pesadelo ou causar estresse ou um desconforto desnecessário. Neste post listamos sete erros, com dicas para evitá-los.

1. Não fazer o check-in online um dia antes da viagem

Fazer o check-in na véspera da viagem é mais importante do que muitos viajantes imaginam. Primeiro, é uma maneira de você conferir os dados de sua viagem e descobrir se houve alguma alteração que não foi devidamente comunicada, algo muito comum em tempos de pandemia. Depois, aumenta enormemente suas chances de conseguir um assento melhor no avião. Por fim, pode evitar que você seja vítima de overbooking ou que perca o voo caso se atrase para o aeroporto.

Todas as companhias permitem que se faça o check-in entre 24 horas e 90 minutos antes do voo. Azul, Gol e Latam oferecem um prazo ainda maior, 48 horas antes antes do voo. Portanto, não deixe para fazer o seu no aeroporto.

Vale lembrar que devido à pandemia a Latam e a Gol estão encerrando o atendimento para realização de check in e despacho de bagagem 1 hora antes dos voos nacionais, ao invés dos 30-40 minutos habituais. Muita gente desavisada perde o voo por não estar ciente disto.

2. Não conferir os documentos de viagem antes de sair de casa

A ansiedade de sair de casa é uma inimiga traiçoeira antes de uma viagem. Você corre o risco de esquecer o passaporte, a carteira de identidade, um comprovante de seguro ou de vacina, como a da febre-amarela, ou qualquer outro documento importante para viajar. Por isso eu sempre faço uma checagem na véspera da viagem e coloco os documentos necessários de todos que vão viajar (e não delego essa tarefa a ninguém) junto com a bagagem de mão.

Vale lembrar que hoje existem documentos eletrônicos para embarcar no avião que são aceitos pelas companhias aéreas, como o e-Título, a CNH-e e a DNI. Eles podem te salvar na última hora se o pior acontecer. Mas não substituem o passaporte numa viagem internacional, ou a carteira de identidade física numa viagem para a América do Sul, em países que dispensam o uso de passaporte.

3. Sair em cima da hora para o aeroporto

Chegar atrasado ao aeroporto é sinônimo de um grande prejuízo e de muita frustração e aborrecimento. Perder o voo é quase a mesma coisa que perder tudo o que você pagou na passagem aérea. Por isso, eu sempre saio com muita antecedência. E isso já me salvou dezenas de vezes de engarrafamentos e de outros imprevistos que certamente me fariam perder a viagem.

Até mesmo de uma vez que eu fui para o aeroporto errado (meu voo era do Galeão e eu fui para o Aeroporto Santos Dumont). Além disso, é um Uber que demora para vir, um acidente ou manifestação no meio do percurso, um problema com o carro… Eu prefiro esperar relaxado no aeroporto do que passar perrengue achando que vou perder o voo. Neste post “O que fazer enquanto espera seu voo no aeroporto?” você confere dicas para aproveitar o tempo e relaxar.

Além disso, na alta temporada é comum enfrentarmos grandes filas nos guichês de check-in e no controle de segurança dos principais aeroportos. Eu já cansei de ver gente perder o voo mesmo chegando no aeroporto antes do encerramento do embarque, que costuma ocorrer 15 minutos antes do horário da decolagem, por não conseguir passar a tempo pelos canais de inspeção.

Se não conhecer o aeroporto, a atenção deve ser redobrada, já que o local de embarque pode ser distante e você pode ter dificuldades para se locomover no local. O mesmo vale para um voo internacional, já que muitas vezes temos que passar pelo controle de passaporte, imigração e às vezes por revistas inesperadas.

4. Não checar o peso e o conteúdo permitido na bagagem

A bagagem virou um tema controverso nas viagens de avião desde que as companhias aéreas passaram a cobrar pelo serviço (veja quanto custa despachar uma bagagem em voos nacionais da Gol, Latam e Azul). Há um limite de dimensões e de peso (10 quilos) na bagagem de mão, além de um item pessoal como bolsa ou mochila. Alguns itens que não são permitidos, como ferramentas de mão de obra, isqueiros, líquidos inflamáveis, alvejantes e objetos cortantes, como tesouras e canivetes. Em voos internacionais também há restrições a líquidos com mais de 100 ml, incluindo cremes, perfumes e álcool em gel.

Já a bagagem despachada vai sair bem mais em conta se você adquirir o serviço com antecedência pelo site da companhia aérea. Por isso, arrumar a mala alguns dias antes de viajar pode ser útil para você descobrir se vai precisar ou não despachar. E, se precisar, a adquirir o que precisa por muito menos do que custaria no aeroporto.

Por fim, coloque sempre um etiqueta com seu nome e contatos disponíveis durante a viagem dentro e fora de suas malas e nunca despache objetos de valor, dinheiro, documentos e qualquer coisa que seja muito importante para você.

5. Não se preparar devidamente para uma viagem de avião

Algumas pessoas, como eu, adoram viagens de avião. Outras, detestam, principalmente porque sentem medo, acham um tédio ter que ficar apertado numa aeronave até chegar ao destino. Mas o que eu aprendi nesses anos todos é que quando a pessoa se preparar para a viagem, tudo fica mais fácil e prazeroso.

Por exemplo, eu costumo dormir no avião, mas sempre levo conteúdo para entretenimento no meu celular, computador, ou mesmo um livro. Além disso, tenho sempre algo para comer ou beliscar na mochila, como amendoim, chocolate ou mesmo uma fruta. Gosto também de andar com uma garrafa de água. Se o avião tiver internet wi-fi eu curto trabalhar, dependendo da duração do voo e do espaço entre as poltronas – que seja suficiente para usar o notebook com o mínimo de dignidade (em algumas cias é meio que impossível fazer isso no assento comum).

Outra dica é viajar com roupas e calçados confortáveis. E de preferência com pouco metal no corpo, para facilitar sua passagem pelo controle de raios-x. Vale lembrar que os pés costumam inchar em voos longos, o que pode gerar desconforto com sapatos apertados. Veja aqui como se preparar para voos longos: dicas para ter uma viagem mais agradável e tranquila.

6. Não conhecer seus direitos e deveres

O transporte aéreo envolve algumas regras um pouco complexas, mas saber alguns direitos e deveres básicos é essencial para lidar com imprevistos, como atrasos e cancelamentos de voos, overbooking e extravio de bagagem. Caso o seu voo atrase mais de 4 horas, por exemplo, ou seja cancelado, a companhia aérea deverá oferecer alimentação, hospedagem em caso de pernoite no aeroporto e transporte de ida e volta. Se o passageiro estiver no local de seu domicílio, a empresa poderá oferecer apenas o transporte para sua residência e desta para o aeroporto. Além disso, opção de reembolso integral o reacomodação em outro voo disponível da própria empresa ou de outra companhia aérea.

Além disso, quando a companhia, por qualquer motivo, não dispor de lugares no voo para atender um passageiro com reserva confirmada e que chegue no horário do voo, deverá indenizar o passageiro imediatamente. Haverá um valor mínimo de indenização, que é de cerca de R$ 1.140 em voos domésticos e R$ 2.280 em voos internacionais que deverá ser pago em espécie, transferência bancária ou voucher, além das demais compensações previstas em lei. Segundo a Anac, a medida deverá incentivar as companhias a buscar voluntários interessados na compensação oferecida, como ocorre em outros países.

7. Não cuidar de seus pertences durante toda a viagem

Eu já fui furtado no aeroporto de Congonhas. Em questão de segundos minha mochila sumiu com meu computador dentro, enquanto eu almoçava num restaurante. Fiquei me sentindo um idiota e nunca recuperei meus pertences. Depois descobri que isso é mais comum do que a gente imagina, especialmente antes do controle de segurança (raios-x) dos aeroportos, onde qualquer um pode circular e passageiros são alvo de quadrilhas especializadas. Hoje não desgrudo dos meus pertences nem por um segundo e evito ficar fora da aérea segura.

Além disso, é comum muitos passageiros esquecerem objetos nos aviões. Celulares, tablets, computadores, fones de ouvido e até carteiras. Portanto, evite utilizar os bolsões na frente dos assentos e sempre confira se pegou toda a bagagem que trouxe a bordo antes de levantar e sair do avião.

Caso tenha despachado a bagagem, confira atentamente se não houve danos ou arrombamento. Caso tenha alguma irregularidade é importante comunicar a companhia aérea e preencher o formulário antes de sair do aeroporto.


E você, já cometeu algum desses erros ou alguma outra mancada numa viagem de avião? Comente e participe!

Veja também:

Fonte: Melhores Destinos

Comentários Facebook