ICE auxiliará imigrantes nos processos migratórios em meio à superlotação nos centros de patrulha de fronteira

Muitas famílias de imigrantes que chegaram aos Estados Unidos nas últimas semanas serão transferidas para o Departamento de Imigração e Alfândega (ICE) para diminuir a superlotação nos postos da Patrulha de Fronteira, informaram funcionários.

No sábado passado, as instalações de processamento da Patrulha de Fronteira tinham 585% dos migrantes acima de sua capacidade, disseram dois funcionários do Departamento de Segurança Interna (DHS) à rede.

Especificamente, no Vale do Rio Grande, setor mais movimentado para travessias de fronteira, havia 6.671 imigrantes em uma unidade com capacidade para 965 pessoas, segundo uma das autoridades, o que gerou a disseminação da COVID- 19, outros vírus e piolhos entre os migrantes.

Mais de 50.000 migrantes foram recentemente libertados sem uma data de audiência e receberam uma data para se apresentar a um escritório do ICE dentro de 60 dias, mas aproximadamente 15.000 não o fizeram, disseram as autoridades.

Os oficiais de segurança destacam que, em uma ação sem precedentes, o ICE, agora fará exames de saúde, oferecerá vacinas COVID-19, informará os imigrantes sobre seus direitos e os conectará com organizações não governamentais que podem ajudá-los.

Os oficiais de asilo continuarão a fazer determinações iniciais para os requerentes de imigrantes para esse status, seja nas instalações do ICE ou por telefone.

Depois de serem atendidas pelo ICE, as famílias serão liberadas com monitores de tornozelo e uma data no tribunal para apresentar seu caso de asilo ou embarcar em voos para deportação rápida, de acordo com dados de funcionários do DHS.

Os porta-vozes do ICE, Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) e DHS não responderam a um pedido de comentário da rede.

Grupos pró-imigrantes argumentam em uma ação judicial que a política iniciada pelo governo do republicano Donald Trump (2017-2021), conhecida como Título 42, que expulsa os imigrantes de volta ao México antes que eles possam entrar com um pedido de asilo, deve terminar.

Por outro lado, o procurador-geral republicano do Texas, Ken Paxton, solicitou em uma ordem judicial em 15 de julho que o governo do presidente Joe Biden continuasse a aplicar essa regra sem exceções.

Fonte: Brazilian Press

Comentários Facebook